Arquivo para stoner-rock

Made in Brazil: Black Drawing Chalks

Posted in Made In Brasil, Música with tags , , , , , , , , , , , , , on julho 26, 2010 by digitalterror

A rock’n’roll band. Music to drink and fuck. Essa é a bio da BDS [Black Drawing Chalks], uma banda de Stoner Rock [um rock com riffs de guitarra graves e lentos com grande influência setentista/psicodélica] de Goiânia!

Victor Rocha e Douglas Castro tiveram a dieia de montar uma banda na faculdade de Design Gráfico. Eles fazem parte do estúdio Bicicleta sem Freio [responsável pela identidade visual de vários shows e festivais de Goiânia] e decidiram chamar Denis de Castro, irmão de Douglas e estudante de arquitetura, para fundar o Black Drawing Chalks. Na época, Victor dividia os acordes e vocais com Marco Bauer. No início de 2007, Marco decide sair da banda e Renato Cunha é convidado a integrar o quarteto. O nome da banda, que significa “carvões pretos para desenhar”, vem de uma marca alemã de material para desenho Staedtler, influência constante na vida dos garotos.

Em 2007, lançaram o elogiado disco de estréia, “Big Deal”, pela gravadora Monstro Discos. Após o lançamento do álbum, a banda tocou pelo Brasil inteiro. No mesmo ano, abriram para os ídolos americanos do Nashville Pussy, tradição que se tornaria frequente. A banda já fez shows ao lado de nomes como The Datsuns, Motörhead e Eagles Of Death Metal.

Em 2009, com mais maturidade, o grupo lança seu segundo álbum “Life Is a Big Holiday For Us”, também pela Monstro Discos, após uma turnê pelo Canadá, onde a banda se apresentou no festival Canadian Music Week.

Com frequente exposição na mídia, longas turnês e participação nos maiores festivais do Brasil, o grupo conquistou três indicações ao VMB 2009, nas categorias Aposta MTV, Rock Alternativo e Videoclipe do ano, com o vídeo da música My Favorite Way, feito em uma parceria do coletivo Bicicleta Sem Freio com o estúdio Nitrocorpz, responsável por diversas vinhetas da MTV.

Pra mim, que faço design, o BDC é uma imensa jogada. Os caras sintetisam o design com o lance psicodélico do stoner-rock, com letras lisérgicas e contagiantes! O clipe da “My Favorite Way” mostra bem isso, com forte impacto visual.  Vamos deixar um pouco desse rock’n’roll certinho que escutamos hoje em dia pra viver um pouco do ácido desse estilo de sexo, drogas e tudo mais!

Também vale muito a pena viajar nas ilustrações do Bicicleta sem Freio, altamente viciante…  Então, let’s rock!!
_myspace

2010’s: Japandroids

Posted in Música, Novidades with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on julho 8, 2010 by Jonatas

Para começar, o nome dessa banda é genial: Japandroids. Não consigo imaginar um nome mais nerd para uma banda formada por… nerds. O Japandroids é um duo canadense de garagem formado por Brian King (físico) e David Prowse (antropólogo). E só. São apenas os dois, com uma guitarra e uma bateria no melhor estilo White Stripes de existir. A grande diferença está nas influencias sonoras. Jack White é profundamente ligado ao rock clássico, blues e guitarras virtuosas. Já esses caras são sujos e crus, e preferem aquela barulheira da guitarra bruta sem muito trabalho para tocar, mas com muita espontaneidade. Ficam claras as influências de stoner-rock, garage-rock e até mesmo hard-rock em suas faixas.

Desde 2006 na estrada, só agora com o relançamento do EP “No Singles” ganharam algum destaque graças às maravilhas que a internet pode prover. Encabeçaram os artistas mais bloggados por semanas consecutivas no The Hype Machine, espécie de site que serve de termômetro para o que há de novo e bom por ai. Foi o suficiente para ganharem espaço em muitos festivais pela Europa e EUA. Seu disco de estréia, “Post-Nothing” lançado em 2009, foi citado como “melhor redescoberta em 2010” pelo semanário britânico NME.

Particularmente, não vejo nada de inovador, nem promissor no som deles. O som lembra muito Death From Above 1979, que era uma ótima banda (aliás, uma das minhas preferidas) e A Place To Bury Strangers. Existe alguma semelhança também com alternativo-experimental que pegou no final dos anos 80, como Jesus and Mary Chain e Sonic Youth. Mas é um som que diverte muito! Pelo que comentam, a presença de palco dos caras deve ser muito boa! E é disso o que precisamos não é mesmo? Boas energias.

Fato rápido: O nome Japandroids é uma homenagem a duas bandas que influenciaram Prowse e King. São elas Japan Scream e Pleasure Droids, respectivamente.