Arquivo para punk-rock

Punk Cigano

Posted in Música, Vídeos with tags , , , , , on julho 29, 2010 by Jonatas

“Os roma roubam crianças”. Típica fala de pessoas mais antigas que propagavam uma imagem negativa do povo cigano. Um povo nômade, relativamente fechado, com visual espalhafatoso e que coloca sua comunidade acima de tudo, até mesmo praticando atos ilícitos para sua sobrevivência. Piratas, charlatões, caloteiros e mal-encarados. Se tudo isso é verdade, eu particularmente não sei. Mas definitivamente essa não é a imagem passada pelos integrantes do Gogol Bordello, grupo atípico de gypsy-punk e uma das bandas mais animadas e criativas em atividade hoje.

Utilizando a cultura de seu povo como base, e mesclando-a com ritmos do leste europeu, músicas folclóricas eslavas e punk-rock, produzem hinos multiétnicos que cheiram a rum e cigarros de palha. Suas performances altamente teatrais promovem uma imagem festeira, enérgica e boêmia elevando o ânimo de qualquer pessoa que se aventura pelas canções com um pouco de atenção.

Há dois anos o vocalista e comandante da trupe Eugene Hütz migrou para o Brasil após apresentar-se no TIM Festival. Apaixonado pelo público, pelo cheio do país e pelo sol, resolveu viver por aqui para juntar algumas experiências diferentes e se divertir um pouco. O fruto dessa mudança de ares é “Trans-Continental Hustle”, quinto disco da banda lançado essa semana. O álbum foi disponibilizado na íntegra no MySpace Oficial do Gogol Bordello. O primeiro single “Pala Tute” ganhou um clipe bastante colorido (no bom sentido, não no sentido Restart) que já está circulando pela rede (clique aqui para assistir). Na falta do embed, a gente fica com outro vídeo, né? :P

Se você ainda não conhece bem o trabalho dos caras, vale a pena pesquisar. Diversão garantida!

Anúncios

Top 10: Para Ouvir acima de 200km/h

Posted in Música with tags , , , , , , , , , , , on setembro 18, 2008 by Jonatas

1) Autopillot Off – Make a Sound
2) The Cardigans – Favourite Game
3) Backyard Babies – The Clash
4) Static X – Monster
5) Queens Of the Stone Age – Go With the Flow
6) At the Drive-In – One Armed Scissor
7) Filter – The Best Things
8) Metallica – Fuel
9) The Distillers – Hall Of Mirrors
10) Prodigy – Baby’s Got a Temper

* Esse post eu dedico à minha namorada que adora carros e principalmente correr com eles. Te amo magrela ;*

Não conhece as músicas e quer ouvir? Só clicar em qualquer uma delas que poderá apreciar no YouTube ;)

00’s: Gallows

Posted in Cultura Pop, Música with tags , , , , on setembro 9, 2008 by Jonatas

Manja aquele ruivinho sardento e mirrado, extremamente nerd e sempre com um catarrinho escorrendo do nariz, que era alvo de zoação na sua escola? Então, agora imagina ele se revoltando contra o mundo, fazendo um milhão de tatuagens, cuspindo em fotógrafos e berrando canções cheias de sátiras, escárnio e humor negro. Essa é mais ou menos a fórmula de sucesso dos britânicos do Gallows.

Formada em 2005 pelo magrelíssimo Frank Carter, a banda foi considerada a melhor do ano de 2007 pelo semanário inglês New Musical Express, desbancando veteranos de sucesso e venerados pelos britânicos, como Oasis e Primal Scream. O som que mistura hardcore porradinha no melhor estilo Dead Kennedys e punk rock atual na mesma pegada de Bad Religion, é curto, rápido e preciso. As composições são cheias de piadas sádicas que não agradam a muitos ouvidos, mas que com toda certeza fazem a cabeça da molecada.

O grande sucesso da banda veio com o game de Playstation 2, “Guitar Hero” III: Legends Of Rock”. O single “In the Belly Of a Shark” ganhou proporções inimagináveis e foi responsável pelo maior tumulto que aconteceu no Reading Festival. Junto com a performance enigmática do franguinho Frank (uma mistura heterogênea de Iggy Pop com The Rapture), tornou-se uma explosão sonora.

Quer conhecer a banda??? Só carregar o vídeo abaixo ;)

Orloff Five que foi Três e o Festival do Gás

Posted in Cultura Pop, Música with tags , , , , , , , , , , on setembro 8, 2008 by Jonatas

Nesse final de semana aconteceram dois dos primeiros grandes festivais desse segundo semestre de 2008 em São Paulo: O Gás Festival promovido pelo Guaraná Antártica e o Orloff Five promovido pela marca de vodka Orloff.

O post vai parecer grande, mas é por causa das imagens e vídeos, ok?!

No Gás Festival não houve nada demais, além da apresentação sempre ótima e madura dos veteranos do Bad Religion. A galera agitou com hits históricos e músicas do último disco de trabalho da banda. Se não me engano essa é a terceira passagem dos músicos aqui no Brasil, sendo que uma delas foi num aniversário da 89FM, quando ainda era a boa e velha rádio rock. Se não conhece essa banda, se enterra hahaha… Duvido que ninguém nunca tenha ouvido “American Jesus” ou “21st Century Digital Boy”, ou ainda mais recentemente “New America”. Banda punk, banda inteligente, banda de atitude!

Já no Orloff Five, o destaque foi completo e totalmente das bandas internacionais. O show dos brasileiros do Vanguart, apesar de serem muito bons e competentes, foi morno e sem muito sal. Foram ofuscados com certeza pelas atrações que entrariam mais tarde no palco. E o DJ Tittsworth… Bom, acho que ninguem percebeu que ele chegou a discotecar no intervalo dos shows. Pobrezinho.

Mas enfim, o importante é que todos os gringos não deixaram a desejar. Melvins, banda que rejeitou Kurt Cobain num teste, que faz grunge certeiro e animalesco sempre, fez um grunge certeiro e animalesco. Com seus 20 e poucos anos de estrada mostraram que o grunge não morreu e ainda deixa o povo desesperado nas rodas.

Confere ai “Civilized Worm”:

Depois entraram as garotas suecas (Não a banda Garotas Suecas) do Plasticines, bandinha meio alternativa, meio pop, com um oitavo de punk na atitude. Fizeram uma apresentação bem veterana apesar de praticamente debutarem nos palcos. Seus poucos singles conhecidos agitaram a platéia, mas o ponto forte foi o cover da canção de Nancy Sinatra, “This Boots Are Made For Walking”. Mas pra você conferir, rola a contagiante “Shake”:

Por fim, e definitivamente não menos importante, os Hives fizeram sua apresentação aterradora, energética, cabuloza, maligna, semi-afetada, punk de botique, espalhafatosa e arrogante. Com certeza eles são uma banda de palco e não de estúdio. As músicas são muito mais cruéis e secas, agitadas e sujas. E o vocalista é um show à parte, humilhando qualquer dançarino de psy com seus rebolations aleatórios, pulinhos surtados e chiliques doentios. Trabalharam principalmente seu disco novo, mas não faltaram os clássicos como “I Hate to Say I Told You So”:

E isso é só o começo do que vem por ai…