Arquivo de Hard-Rock

2010’s: Japandroids

Posted in Música, Novidades with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on julho 8, 2010 by Jonatas

Para começar, o nome dessa banda é genial: Japandroids. Não consigo imaginar um nome mais nerd para uma banda formada por… nerds. O Japandroids é um duo canadense de garagem formado por Brian King (físico) e David Prowse (antropólogo). E só. São apenas os dois, com uma guitarra e uma bateria no melhor estilo White Stripes de existir. A grande diferença está nas influencias sonoras. Jack White é profundamente ligado ao rock clássico, blues e guitarras virtuosas. Já esses caras são sujos e crus, e preferem aquela barulheira da guitarra bruta sem muito trabalho para tocar, mas com muita espontaneidade. Ficam claras as influências de stoner-rock, garage-rock e até mesmo hard-rock em suas faixas.

Desde 2006 na estrada, só agora com o relançamento do EP “No Singles” ganharam algum destaque graças às maravilhas que a internet pode prover. Encabeçaram os artistas mais bloggados por semanas consecutivas no The Hype Machine, espécie de site que serve de termômetro para o que há de novo e bom por ai. Foi o suficiente para ganharem espaço em muitos festivais pela Europa e EUA. Seu disco de estréia, “Post-Nothing” lançado em 2009, foi citado como “melhor redescoberta em 2010” pelo semanário britânico NME.

Particularmente, não vejo nada de inovador, nem promissor no som deles. O som lembra muito Death From Above 1979, que era uma ótima banda (aliás, uma das minhas preferidas) e A Place To Bury Strangers. Existe alguma semelhança também com alternativo-experimental que pegou no final dos anos 80, como Jesus and Mary Chain e Sonic Youth. Mas é um som que diverte muito! Pelo que comentam, a presença de palco dos caras deve ser muito boa! E é disso o que precisamos não é mesmo? Boas energias.

Fato rápido: O nome Japandroids é uma homenagem a duas bandas que influenciaram Prowse e King. São elas Japan Scream e Pleasure Droids, respectivamente.

Made In Brazil: Circo Motel

Posted in Made In Brasil, Música, Novidades, Vídeos with tags , , , , , on junho 30, 2010 by Jonatas

Emaranhados no underground paulistano, entre bêbados, mendigos, hare krishnas e travestis, o Circo Motel é uma daquelas bandas que agrada na primeira audição descolando novos fãs pela estrada em todo lugar que passam. No meu ponto de vista, ainda não tiveram o reconhecimento que merecem mesmo com destaque em sites de grande circulação como TramaVirtual e MySpace, e até mesmo tendo um clipe rodando na programação da MTV desde outubro passado.

São uma mistura de rock’n’roll clássico com postura hard-rock, frases de impacto e um vocal rouco marcante. Em alguns momentos lembram Rolling Stones e Black Crowes. Em outros encontramos um quê de Hellacopters e Backyard Babies em suas melhores fases. O fato é que dentre diversas referências a banda traça sua originalidade e mostra sua competencia. Grande prova disso foi a apresentação que conquistaram na Virada Cultural de 2010 que movimentou a galera com as canlções do EP de estréia.

O Circo Motel é bastante acessível também. Extremamente simpáticos com o público, estão sempre atualizando as redes sociais vinculadas à banda e respondem cada comentário, elogio ou crítica. Mais um motivo para desejar todo o sucesso do mundo aos caras, afinal é muito raro encontrar bandas sem estrelismos e frescuras por ai (mesmo na cena underground).

Quer conhecer melhor o Circo Motel? Basta segui-los no Twitter (@circomotel) para acompanhar as novidades. Pode ouvir o EP no MySpace oficial também e baixa-lo na TramaVirtual.

Top 10: Para Ouvir acima de 200km/h

Posted in Música with tags , , , , , , , , , , , on setembro 18, 2008 by Jonatas

1) Autopillot Off – Make a Sound
2) The Cardigans – Favourite Game
3) Backyard Babies – The Clash
4) Static X – Monster
5) Queens Of the Stone Age – Go With the Flow
6) At the Drive-In – One Armed Scissor
7) Filter – The Best Things
8) Metallica – Fuel
9) The Distillers – Hall Of Mirrors
10) Prodigy – Baby’s Got a Temper

* Esse post eu dedico à minha namorada que adora carros e principalmente correr com eles. Te amo magrela ;*

Não conhece as músicas e quer ouvir? Só clicar em qualquer uma delas que poderá apreciar no YouTube ;)

Discoteca: Red Hot Chilli Peppers – Blood Sugar Sex Magic

Posted in Discoteca, Música with tags , , , on agosto 22, 2008 by Jonatas

Banda: Red Hot Chilli Peppers

Disco: Blood Sugar Sex Magic

Ano: 1991

01. The Power Of Equaity

02. If You Have to Ask

03. Breaking the Girl

04. Funky Monks

05. Suck My Kiss

06. I Could Have Lied

07. Mellowship Slinky In B Major

08. The Righteous and the Wicked

09. Give It Away

10. Blood Sugar Sex Magic

11. Under the Bridge

12. Naked In the Rain

13. Apache Rose Peacock

14. The Greeting Song

15. My Lovely Man

16. Sir Psycho Sexy

17. They’re Red Hot

Uma banda que consegue misturar bem hard-rock, funk e ritmos dançantes contagiantes, só poderia fazer muito sucesso. Foram os precursores de um estilo que provavelmente só eles tocam: o funk-metal. Tudo bem que o disco não é nem um pouco maduro, com letras absurdamente adolescentes que falam basicamente de sexo o tempo todo, mas possui seus pontos altos. A faixa “Under the Bridge”, motivo pelo qual o disco vendeu milhões de cópias, é uma ode ao vício à heroína que chega a ser cortante com seus riffs tristes de guitarra.

Outro dos pontos altos é o single “Suck My Kiss” que atualmente é um dos toques de celular mais baixados no mundo. Por fim a famosa “Give It Away” que de longe não é a melhor canção da banda, mas com certeza a que mais fez sucesso e quiçá a mais contagiante. Sobrou até pra banda tocar em um episódeo dos Simpsons hehehe

Vale uma boa escutadela!

*****

Mudança de endereço, de layout, ainda apanhando um pouquinho do WordPress, mas em breve esse blog vai ser o melhor de música que você já viu. Aguarde!

Motley Crue no Brasil

Posted in Cultura Pop, Música with tags , , , , on agosto 7, 2008 by Jonatas

Segundo o Lucio Ribeiro existem possibilidades do Motley Crue passar aqui no Brasil ainda esse ano!!! Estão negociando shows na Argentina e Chile, e normalmente, quando isso acontece, sobra um espaço na agenda para nós.

O Motley Crue foi uma banda ícone do hard-rock dos anos 80, com músicas sobre mulheres, motocicletas, drogas e curtição. Típico da geração rock-farofa. Já rolam uns 20 e poucos anos de estrada, com algumas separações, overdoses, brigas, etc. Com certeza você já ouviu “Girls Girls Girls” por aí.

Já nos anos 90, a banda teve grande destaque graças ao seu baterista Tommy Lee que resolveu gravar sua lua-de-mel com Pamela Anderson. O vídeo foi roubado por um fã, virou sex-tape e um hit de vendas no mundo da pirataria. Antes mesmo de Paris Hilton pensar em ter peitinhos, lá estavam eles mostrando tudo pra galera num pornozão caseiro hehehe… Depois disso claro que se separaram. Ai ela rodou na mão de outros hard-rockers, do Kid Rock, e agora voltaram e ela provavelmente vêm na bagagem.

Nesse eu vou!!! \o\~

OF TOPIC 1: Follow Me no Twitter, que eu Follow You xD~

OF TOPIC 2: Agora temos um e-mail para contato que você pode encontrar aqui na barra ao lado!

O que é Poser?

Posted in Cultura Pop, Música with tags , on agosto 4, 2008 by Jonatas

Direto a gente vê fulano chamando ciclano de poser como se fosse uma blasfêmia. “Você é mó poser jow, não manja nada de música” e bla bla bla… Mas caralho! O que é poser? Alguém já parou pra pensar nisso?

Pois bem…

Axl Rose era poser. Bon Jovi era poser. Os New York Dolls eram posers. Alice Cooper era poser. Nem o David Bowie escapou dessa.

Poser é uma determinação para o fã de glam e hard-rock. São aquelas pessoas espalhafatosas que usam jeans coladinho, shortinho que divide o saco em oito, jaquetinha sem camiseta, bandana e óculos escuros, cabelo desarrumado e maquiagem. Os sex-simbols do rock’n’roll oitentista. Aqueles que se travestem demais e realmente parecem drag queens eram chamados poser pride. É uma coisa relacionada mais com o visual do que com um conceito lógico mesmo. Tipo emo, que hoje é um palavrão, mas na verdade é só o infeliz fã de hardcore melódico.

Antes de chamar alguém de poser então, melhor dar uma pensadinha: eles não eram apenas fanfarrões e bichas, mas formavam toda uma sub-cultura que determinou a atitude de uma geração. E diferente dos emos, eles curtiam boa música e até uma boa literatura. Mas também formaram a geração mais junkie que o mundo presenciou, muito piores que os punks ou hippies. Entre a purpurina e o batom sempre rolavam litros de alcool, cocaína e sexo promíscuo. Daí também veio o apelido para o gênero musical hard-rock: o rock farofa. Mas isso já é pra outro post…