Arquivo para Cultura Pop

Made in Brazil: Black Drawing Chalks

Posted in Made In Brasil, Música with tags , , , , , , , , , , , , , on julho 26, 2010 by digitalterror

A rock’n’roll band. Music to drink and fuck. Essa é a bio da BDS [Black Drawing Chalks], uma banda de Stoner Rock [um rock com riffs de guitarra graves e lentos com grande influência setentista/psicodélica] de Goiânia!

Victor Rocha e Douglas Castro tiveram a dieia de montar uma banda na faculdade de Design Gráfico. Eles fazem parte do estúdio Bicicleta sem Freio [responsável pela identidade visual de vários shows e festivais de Goiânia] e decidiram chamar Denis de Castro, irmão de Douglas e estudante de arquitetura, para fundar o Black Drawing Chalks. Na época, Victor dividia os acordes e vocais com Marco Bauer. No início de 2007, Marco decide sair da banda e Renato Cunha é convidado a integrar o quarteto. O nome da banda, que significa “carvões pretos para desenhar”, vem de uma marca alemã de material para desenho Staedtler, influência constante na vida dos garotos.

Em 2007, lançaram o elogiado disco de estréia, “Big Deal”, pela gravadora Monstro Discos. Após o lançamento do álbum, a banda tocou pelo Brasil inteiro. No mesmo ano, abriram para os ídolos americanos do Nashville Pussy, tradição que se tornaria frequente. A banda já fez shows ao lado de nomes como The Datsuns, Motörhead e Eagles Of Death Metal.

Em 2009, com mais maturidade, o grupo lança seu segundo álbum “Life Is a Big Holiday For Us”, também pela Monstro Discos, após uma turnê pelo Canadá, onde a banda se apresentou no festival Canadian Music Week.

Com frequente exposição na mídia, longas turnês e participação nos maiores festivais do Brasil, o grupo conquistou três indicações ao VMB 2009, nas categorias Aposta MTV, Rock Alternativo e Videoclipe do ano, com o vídeo da música My Favorite Way, feito em uma parceria do coletivo Bicicleta Sem Freio com o estúdio Nitrocorpz, responsável por diversas vinhetas da MTV.

Pra mim, que faço design, o BDC é uma imensa jogada. Os caras sintetisam o design com o lance psicodélico do stoner-rock, com letras lisérgicas e contagiantes! O clipe da “My Favorite Way” mostra bem isso, com forte impacto visual.  Vamos deixar um pouco desse rock’n’roll certinho que escutamos hoje em dia pra viver um pouco do ácido desse estilo de sexo, drogas e tudo mais!

Também vale muito a pena viajar nas ilustrações do Bicicleta sem Freio, altamente viciante…  Então, let’s rock!!
_myspace

Anúncios

9 Songs

Posted in Aleatórios, Filmes with tags , , , , , , , , , on julho 16, 2010 by digitalterror

Qual a música da sua vida? Certo que cada um tem uma trilha sonora, uma música marcante, que conta um momento ou lembra alguém.
Londres, verão de 2003.  Matt (Kieran O’Brien) climatólogo britânico conhece Lisa (Margo Stilley), uma jovem estudante americana, em meio a um show.  Eles logo se apaixonam, vivendo um intenso relacionamento sexual entremeado por vários shows que acompanham.

O filme do roteirista e diretor Michael Winterbottom, conta uma moderna história de amor cantada por oito bandas com nova músicas expetaculares! Algumas famosas como Franz Ferdinand, Primal Scream, Black Rebel Motorcycle Club, etc..
Altamente recomendado, foi o filme popular mais sexualmente explícito até a atualidade [porque inclui várias cenas de sexo real entre os atores.]

As nove músicas

Black Rebel Motorcycle Club – Whatever Happened To My Rock And Roll
The Von Bondies – C’mon, C’mon
Elbow – Fallen Angel
Primal Scream – Movin’ On Up
Dandy Warhols – You Were The Last High
Super Furry Animals – Slow Life
Franz Ferdinand – Jacqueline
Michael Nyman – Nadia
Black Rebel Motorcycle Club – Love Burns

Nine Songs – IMDb

O que é Poser?

Posted in Cultura Pop, Música with tags , on agosto 4, 2008 by Jonatas

Direto a gente vê fulano chamando ciclano de poser como se fosse uma blasfêmia. “Você é mó poser jow, não manja nada de música” e bla bla bla… Mas caralho! O que é poser? Alguém já parou pra pensar nisso?

Pois bem…

Axl Rose era poser. Bon Jovi era poser. Os New York Dolls eram posers. Alice Cooper era poser. Nem o David Bowie escapou dessa.

Poser é uma determinação para o fã de glam e hard-rock. São aquelas pessoas espalhafatosas que usam jeans coladinho, shortinho que divide o saco em oito, jaquetinha sem camiseta, bandana e óculos escuros, cabelo desarrumado e maquiagem. Os sex-simbols do rock’n’roll oitentista. Aqueles que se travestem demais e realmente parecem drag queens eram chamados poser pride. É uma coisa relacionada mais com o visual do que com um conceito lógico mesmo. Tipo emo, que hoje é um palavrão, mas na verdade é só o infeliz fã de hardcore melódico.

Antes de chamar alguém de poser então, melhor dar uma pensadinha: eles não eram apenas fanfarrões e bichas, mas formavam toda uma sub-cultura que determinou a atitude de uma geração. E diferente dos emos, eles curtiam boa música e até uma boa literatura. Mas também formaram a geração mais junkie que o mundo presenciou, muito piores que os punks ou hippies. Entre a purpurina e o batom sempre rolavam litros de alcool, cocaína e sexo promíscuo. Daí também veio o apelido para o gênero musical hard-rock: o rock farofa. Mas isso já é pra outro post…

Oi? Tá escutando?

Posted in Aleatórios, Cultura Pop with tags , , on julho 29, 2008 by Jonatas

Ainda não havia escutado a rádio Oi FM, aqui nos cafundós de CanGuarulhos City, segunda maior cidade do Estado de São Paulo, onde dão incentivos fiscais, constroem prédios para ricos e pode-se andar as 3h da manhã sem ter medo de andar na rua, porque apesar de ser grande, tem espírito de cidade do interior. Bom, não tinha sinal e não havia escutado.

Mas hoje pegou!!! E eu, que vinha testando todo santo dia pra ver se pegava, consegui ouvir a programação sem nenhuma interferência!!!

Minha primeira impressão foi: Graças a Deus fizeram uma rádio boa em São Paulo. Os primeiros minutos vieram regados de Arctic Monkeys, R.E.M. e Fischerspooner. Que rádios tocam isso na seqüência??? É suicidio, detona a audiência.

Então veio a segunda impressão depois de 30 minutos de audição: É a rádio mais eclética que já ouvi. Veio uma seqüência bizarra que englobava Gnarls Barkley, Portishead, Kanye West e Matisyahu.

Espero que eles continuem fora do modismo empregado pelas mídias e propagando boas músicas, independente do estilo, para um público que está carente desse tipo de cultura!

E nesse post tem um monte de dicas musicais hein?! Sem preguiça pessoal… Procurem porque são coisas boas!

Tá em Sampa??? Não??? Então escuta no Site da Oi FM ;)

Ser Emo é Proibido na Russia

Posted in Cultura Pop with tags , on julho 23, 2008 by Jonatas

Pelo menos será quando a lei for aprovada. Segundo publicação no site do semanário inglês New Musica Express (NME), a nova lei pretende controlar sites de conteúdo emo e banir o visual dessa tribo urbana em escolas e vias públicas. Aparentemente estão formulando esse procedimento para evitar depressão coletiva e pensamentos suicidas.

O crescimento desse “movimento” foi tão grande no país que até os adultos aderiram.

Bizarro? Autoritário demais? Esquisito? Desnecessário? Os emos vão dominar o mundo?

OBS.: Essa é a postagem de número 24. Ui!

E falando em Lily Allen

Posted in Cultura Pop with tags , , on julho 15, 2008 by Jonatas

Não é que a guria plageou o refrão de uma música da boy band inglesa Take That? Pior é que ainda confirmou o roubo em sua página do MySpace dizendo “Coloquei uma canção que não vai para o disco. Eu roubei o refrão de uma música do Take That e não quero ser importunada com a papelada, então aqui está.”

Que coisa feia Lily! Não adianta fazer cara de inocente nãããããooooo!!!

O Brasil e os Shows

Posted in Cultura Pop, Música with tags , on julho 12, 2008 by Jonatas

Deu pra reparar que o Brasil entrou definitivamente na rota dos shows internacionais não é???

Só esse ano já tivemos uma infinidade de apresentações gringas em terras tupiniquins. Bob Dylan, Chuck Berry, Earth Wind and Fire, Fergie, Herbie Hancock, Hillary Duff, Iron Maiden, Joss Stone, Macy Gray, Megadeth, The Go! Team, Metric, My Chemical Romance, Ozzy Osbourne, Rod Stewart, Rufus Wainwright, Seal, Sean Kingstom e Whitesnake (esqueci alguém?), só até onde eu lembro.

E ainda rola uma lista enorme de possíveis atrações e shows para o segundo semestre, como Bright Eyes, Muse, Suicidal Tendences (de novo), Peter Bjorn and John, Shout Out Louds, Justice, Nine Inch Nails (de novo), Mudhoney, Futureheads, The Hives Melvins, Late Of the Pier, Plasticines, Yo La Tengo, Klaxons, Gogol Bordelo, Santogold, Jesus and Mary Chain, MGMT, Kaiser Chiefs, Spoon, Foals e Black Lips.

Fora os boatos de Amy Winehouse, Radiohead, Mika, Franz Ferdinand, REM, Linkin Park, The Kooks, Hercules & Love Affair, Duran Duran, Depeche Mode, Sigur Ros, Black Moutain e até BON JOVI.

Aí vem a pergunta básica para todos aqueles que são fissurados em música como eu: de onde o povo brasileiro vai tirar tanto dinheiro pra ir em show, hum?