Archive for the Random Category

Gigantes do Subúrbio

Posted in Música, Novidades, Random with tags , , , , , , , , , , , , , , on julho 28, 2010 by Jonatas

Muitos críticos musicais e culturais dizem que vivenciamos um início de século fraco na música. Chamam nossa geração músical de “vocalizadores do efêmero”, responsáveis por canções notáveis por um curto período de tempo, mas completamente esquecíveis a longo prazo. É claro que existem muitas bandas assim por ai hoje, mas elas sempre existiram e sempre existirão. Precisamos vislumbrar nuances de genialidade em meio ao mar de novidades diárias que nem sempre valem a pena. E eu me arrisco aqui a dizer que os canadenses do Arcade Fire são muito provavelmente tão incríveis e históricamente relevantes quanto Pink Floyd, Smiths ou The Cure já foram. Aliás, tem tudo para ser maiores, melhores e mais notáveis.

Acompanho a banda desde o início, quando lançaram em 2004 seu disco de estréia “Funeral”. Soturnos, melancólicos e tímidos, deixavam claras suas referências pós-punk iluminadas com poesias sensíveis e uma sonoridade pouco madura. Fiquei impressionado com o show enérgico que apresentaram no Tim Festival nessa época, bastante carismático. Eram diferentes e originais, apesar de pouco maduros ainda.

Então veio em 2006 o bombástico álbum “Neon Bible”. Aqui eles migraram da infância para a maturidade em todos os sentidos. Canções simétricamente perfeitas que rodeavam por inúmeros turbilhões emocionais de uma maneira tão tocante que era impossível tirar o disco do repeat. David Bowie citou que esse era um de seus discos preferidos e convidou a banda para abrir seus shows. Faixas como “Keep the Car Running” e “Intervention” foram elevadas pelos blogs ao patamar de clássicos. As indicações ao Grammy vieram e foram todas engolidas friamente. Para os integrantes o sucesso aparentava ser indiferente. E assim, depois de uma longa tournê sumiram para cumprirem seus projetos pessoais.

Para uma banda completamente underground de rock alternativo um hiato de quatro anos poderia favorecer seu esquecimento, mas surpreendentemente quando anunciaram que lançariam esse ano seu terceiro álbum de inéditas todos comentaram. As expectativas sobre o disco começaram a supervaloriza-lo antes mesmo do lançamento. E claro, a mídia tratou a novidade com certo desdém (com excessão de alguns jornalistas que se consideram cults e preferem remar sempre contra a maré). “The Suburbs”, como resolveram chamar o disco, supostamente não poderia superar seu trabalho anterior. “Neon Bible” seria para sempre a obra-prima da banda. Um grande erro pensar assim…

“The Suburbs” é tão avassaladoramente impressionante que calou o mundo. Não consegui ver uma crítica sequer até o momento que conseguisse descrever a sensação passada por essas 16 canções memoráveis. Todos ficaram de boca aberta com a novidade que se firma como um dos melhores discos da década (senão o melhor). Ficaram tão sem jeito com a situação que em algumas publicações chegaram a dizer que o disco é uma espécie melhorada de “Ok Computer”, clássico do Radiohead. Uma idiotice. Não dá para fazer comparações porque não existe uma referência para se comparar.

A faixa título já arrepia na primeira audição. “Ready to Start” abre o coração como se fosse uma pequena caixa de pandora e deixa fluir todos os sentimentos pelo ar. Assim o disco navega por diversas canções melancólicas e memoráveis até chegar em seu ápce com “Wasted Hours” que é quase um lamento choroso e pulsante ao mesmo tempo. E nesse ponto ele vai desacelerando delicadamente. É um disco perigoso de tão bonito! Ele realmente mexe com todos os sentidos e prende nossa atenção. Uma espécie de “O Apanhador do Campo de Centeio” sonoro. Não há um adjetivo sólido suficiente para descreve-lo.

O Arcade Fire conseguiu consolidar-se (pelo menos para mim) como um gigante da nossa geração. E deveriam ser escutados pelo menos uma vez por todos! Brilhantes e humildes até onde constam, merecem um pouco de atenção.

Anúncios

Música para Ouvir com os Olhos

Posted in Random, Vídeos with tags , , , , , on junho 21, 2010 by Jonatas


Essa é uma sacada genial da revista Esquire para divulgar sua “capa do mês” na internet!

Aproveitando que a capa em si é a polêmica modelete Daisy Lowie, espécie de namoradinha do rock na Europa, filha de rockstar (no caso, Gavin Rossdale, vocalista do Bush, que não é assim tão rockstar mas enfim…) e extremamente, ahm… extrovertida, a revista criou um vídeo viral da garota dançando com diversas trocas de (pouca) roupa durante o set fotográfico.

Mas o lance não é só esse: A música que trilha o vídeo também é um lançamento exclusivo da revista. A faixa se chama “Tiger” e é o primeiro trabalho solo do David Sitek, o cérebro por trás das letras e melodias da banda TV On the Radio. Duas chamadas da capa em um vídeo curto!

Ai você vira pra mim e fala: “Tá manolo, mas e ai? GRANDES BOSTAS!”.

Não, não é bem assim. O mercado europeu de revistas é o mais aquecido do mundo, e uma manifestação como essa de certa forma é revolucionária para o marketing desse tipo de produto que já foi ameaçado de extinção. Além de ser uma ótima ferramenta multimídia para lançar projetos novos, como é o caso da faixa “Tiger” que nunca havia sido escutada antes. E é uma forma delíciosa de se ouvir música. Pelo menos é o que os gringos acham, visto que o vídeo já teve mais de 1 milhão de visualizações em menos de uma semana no ar :D

Back to Basics

Posted in Random with tags on junho 28, 2009 by Jonatas

Fala galerinha frequentadora deste espaço!!!

Mais uma vez fiquei longe por um longo período e mais uma vez devo desculpas. Mas agora aparentemente a coisa tá de volta. Prometo me esforçar!!! Logo mais posts novos ;)

09’s: White Lies

Posted in Random with tags , , , , , , , , on janeiro 16, 2009 by Jonatas

whitelies

Esse blog sofreu efeitos colaterais de uma preguiça devastadora na última semana, mas está de volta, e com coisa boa: os White Lies.

Banda britânica formada em meados de 2000 e algo, está na estrada com esse nome desde 2007. Os músicos trocaram o nome da banda por acreditarem que este novo nome causaria um impacto maior, além de ser muito mais condizente com a sua estética musical atual: soturna.

Nas primeiras audições, a impressão que se tem é que o White Lies é mais uma música que bebe da fonte de Joy Division. Canções um tanto quanto depressivas, com letras igualmente pessimistas e refrões pegajosos que grudam na nossa memória. O primeiro single “To Lose My Life” lembra muito “Shadowplay”, por exemplo. Entretanto, ao se explorar melhor o grupo, percebe-se que estão buscando uma identidade própria, mesmo que completamente embasada em clássicos oitentistas ou bandas do atual cenário rock/electro, como The Killers, Interpol, Editors, Glasvegas ou She Wants Revenge.

A BBC citou a banda como uma das prováveis revelações de 2009. Já eu não crio  tantas espectativas. Mas uma coisa não dá para negar: o som da banda é bom e vale a pena ser comentado!

#15:15

Posted in Random with tags , , , , , , , , , , , , on janeiro 10, 2009 by Jonatas

science_of_sleep

Na dúvida do que fazer da vida no final de semana, vá ao Museu da Imagem e do Som (MIS) em São Paulo e veja a exposição do cineasta Michael Gondry“Rebobine Por Favor”, idealizado pelo famoso diretor francês e  baseado  no filme de mesmo nome, permite que os visitantes gravem seus próprios filmes, passando por dois workshops para aprender um pouco da criação de roteiros e planejamento básico de filmes. Os vídeos produzidos, claro, ficarão disponíveis para o público da amostra ver.

Gondry ficou famoso pelo filme Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, mas principalmente por dirigir clipes incríveis de artistas como Björk, White Stripes e Chemical Brothers. (Clique nos links para ver alguns vídeos).

O projeto vai até dia 11 de janeiro (amanhã, domingo). Portanto, se estiver afim de ir, corra. Mas se essa não for sua praia e não quer morrer de tédio tente:

1 Balada: no Studio SP vai rolar aprensentação da Miranda Kassin, bastante legal.

1 Filme: de preferência A Troca, dirigido por Clint Eastwood e com Angelina Jolie e John Malkovich. O blog é de música, mas  filmes são sempre rock’n’roll.

Só não vá morrer de tédio ;)

Lembra de… Chumbawamba?

Posted in Random with tags , , , , , , , on janeiro 9, 2009 by Jonatas

tubthumper

Essa banda anda tão completamente esquecida que até fotos dela em boa qualidade é impossível de achar. O Chumbawamba é um grupo inglês que começou sua carreira tocando anarco-punk, mas depois de 25 anos sem conseguir implacar nenhum sucesso no mainstrain resolveram reestruturar suas canções produzindo faixas de pop-rock e dance, com grandes influencias de folk e world-music (???). Extremamente politizados, sempre procuraram passar mensagens sobre os problemas que o mundo enfrenta, como violencia, pobreza, racismo, guerras, entre outros.

Só assim conseguiram ganhar o mundo com o único hit de sucesso , a faixa “Tubthumping”, que tocou nas rádios, pistas de dança e MTV até enjoar:

Mas o que aconteceu com eles? Eles estão na ativa até hoje. Já velhinhos, continuam fazendo tournês pela Europa sempre engajados em projetos sociais. Após o sucesso de “Tubthumping” lançaram outros singles que não fizeram sucesso como Top Of the World (Ole, Ole, Ole), On eBay e Jacob’s Ladder“, mas mesmo assim nunca deixaram de compôr e todo ano lançam um novo EP. Com uma postura divertida e irreverente, continuam contagiando suas platéias e fazendo muita gente dançar. One hit wonder, fato, porém de qualidade!

Top 10: Para Ouvir em Dias de Chuva

Posted in Random with tags , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 8, 2009 by Jonatas

images_chuva

Porque aqui tá uma chuvinha desanimadora hehe xD

01) Placebo – Sleeping With Ghosts
02) Belle & Sebastian – Sleep the Clock Around

03) Smashing Pumpkins – Stand Inside Your Love
04) Kid Abelha – Na Rua, na Chuva, Na Fazenda
05) Guns’n’Roses – November Rain
06) Kings Of Convenience – Misread
07) Sigur Rós – Vidrar Vel Til Loftarasa
08) Death Cab For Cutie – We Laugh Indoors
09) The Carpenters – Rainy Days and Mondays
10) The Doors – Riders On the Storm

BONUS: Placebo – Special Needs