Um Emprego para o Cowboy

No último sábado, 18 de julho, aconteceria (ironicamente) na Inferno em São Paulo uma amostra de como será o apocalípse. Uma pequena orla de furiosos jovens preparavam-se para um massacre particular frente a uma das mais devastadoras bandas de death-metal da atualidade, a Job For a Cowboy. Aglomerados desde cedo no Baixo Augusta, ouviam em seus celulares a céu aberto faixas atrozes, cheias de carnificina poética contando os minutos para libertar toda a fúria concentrada em sua existencia nas rodas de bate cabeça que aconteceriam em breve. Alguns até arriscavam imitar os sonoros guturais do vocalista Jonny Davy sem sucesso. Outros grunhiam como porcos em lembrança de alguns momentos memoráveis das faixas mais conhecidas da bandas. Todos mostravam certa euforia e aguardavam ansiosamente pela apresentação.

Mas superestimaram demais o evento. O show da banda foi ótimo claro, dentro do possível. A casa estava relativamente cheia, um fato bastante raro para bandas supostamente desconhecidas e de sonoridade não tão popular. Entretanto aconteceu tudo muito rápido não atingindo todas as espectativas de um show de death-metal. Executaram friamente todas as faixas com potencia, velocidade e muita competencia, praticamente sem pausas entre uma música e outra. Em pouco mais de uma hora despediram-se do público que animou-se em poucos momentos e deixou um pouco a desejar. A precisão e técnicas da banda são indiscutíveis, e possuem muita energia em palco, mas algo deixou-os tímidos. Talvez as garotas que acompanharam o show de perto, em sua grande maioria bonitas. Aliás, haviam mais garotas do que imaginava-se ter em shows desse gênero.

Sem essa de sacrificar bodes para ganhar imunidade, pactos diabólicos ou coisas do gênero: foi um bom show intimista, divertido e tranquilo, qualidades improváveis quando se trata de death-metal. Ótimo para iniciantes no gênero e curiosos. De longe, em nada se parecia com o apocalípse.

2 Respostas to “Um Emprego para o Cowboy”

  1. O nome da banda é genial. Sempre tive vontade de ouvir os caras, mas nunca baixei nada, cara.

    os caras são bem extremos e o som é bem técnico. me lembrou o the black dahlia murder. e tem algo de metalcore no som. achei muito louco você postar isso daqui no blog. hehehe

    abraço

  2. Timidos e geniais e gentis.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: