Arquivo de dezembro, 2008

2009?

Posted in Random on dezembro 28, 2008 by Jonatas

Tá chegando e tudo vai mudar! Esse blog vai ressucitar com força total, aguardem!

Top 5: Melhores Discos Brasileiros de 2008

Posted in Random with tags , , on dezembro 25, 2008 by Jonatas

5) Frejat – Intimidade Entre Estranhos

248_2956-capa-frejat-rod

Esse é o terceiro álbum da carreira solo de Frejat, líder do Barão Vermelho e um dos maiores expoentes do rock brasileiro. Para muito pode parecer mais do mesmo, outro disco cheio de baladinhas chiclete com levadas de rock alternativo e blues, mas para aqueles que possuem um ouvido mais apurado é uma boa obra que capta uma instrumentação quase perfeita com letras extremamente inteligentes e bonitas! Vale a pena dar uma conferida ;)

4) Curumin – Japan Pop Show

2008curumin

Na minha humilde opinião, Curumin foi a grande revelação brasileira do ano que foi ofuscado injustamente pela monga da Mallu Magalhães. Instrumentista competente, sabe misturar diversos gêneros musicais fomentando o melhor da nova MPB e trazendo algumas canções interessantes e criativas, além de dançantes. E ao vivo é melhor ainda, pode conferir!

3) Pedro Luís & A Parede – Ponto Enredo

plap_2008-ponto-enredo_32

Só a faixa de abertura desse disco já vale por ele inteiro! O grupo dedicou esse novo trabalho ao samba e produziu boas canções tímidas, um pouco incertas, típicas de músicos que já estão acostumados a tocar tudo aquilo que ouvem e não sabem bem separar os gêneros. Mas isso não é uma coisa ruim: é um álbum de samba original, muito bom por sinal, com influências de jazz, blues, rock e música regional brasileira. Soa como poesia, e hoje em dia isso é muito difícil.

2) MopTop – Como Se Comportar

moptop

Acredito que MopTop é uma das bandas nacionais mais legais dessa nova geração de bandas. Podem falar que produzem um rock chupado dos Strokes, sem identidade sonora, mas eu discordo. Acho eles muito competententes e inspirados, e esse disco mostra bem como amadureceram desde que iniciaram sua carreira e percorreram o país mostrando sua música. As composições estão infinitamente melhores, as melodias ainda são previsíveis mas já percorrem por caminhos diferentes e há muita harmonia. Não é à toa que os caras não param de fazer shows por ai. Simplicidade contagiante!

1) O Rappa – 7 Vezes

33vmcf4

Admiro muito O Rappa. Acho difícil passar uma mensagem político-social para uma geração repleta de acéfalos utilizando como base a linguagem do morro, referências das comunidades e de maneira tão direta e devastadora. Acho a voz do Falcão pesada e melancólica ao ponto de ser triste. E não tem uma única canção do grupo que não grude na memória! É uma volta e tanto, com mais do mesmo claro, mas de uma maneira diferente que me dá vontade de cantar.

Top 5: Discos de 2008

Posted in Random on dezembro 22, 2008 by Jonatas

Fim de ano chegando, começam aqueles balanços gerais do que houve de bom e ruim no decorrer de todo o ano, uma espécie de retrospectiva para ninguém esquecer nada. Para não fugir dos padrões modais, aqui no Musikaholic também teremos essas listas! Mas claro, nada de Top 20, Top 100, os 1000 hits do ano. Nada, aqui só rolam 5. Mesmo porque não dá pra se dizer que aconteceu tanta coisa boa assim num período tão curto de tempo.

Pois bem! Para iniciar então, listo aqui abaixo os 5 melhores discos do ano de 2008, na categoria internacional. Deixo claro que são opiniões pessoais, então sem difamações… Cada um com seu gosto, respeito é bom hehehehe xD

5) TV On the Radio – Dear Science,

tv-on-the-radio-dear-science

Se houve um disco perfeitamente maduro lançado em 2008, esse disco pertence ao TV On the Radio. Não há sequer uma faixa nesse álbum que não impressione, seja pela melodia, pela simetria ou pela composição. E é um trabalho completamente diferente dos demais já produzidos pela banda, soando mais pop do que experimental, mas ainda assim diferindo-se da constância musical existente no mainstrain. Recomendo por ser emocionante, de arrepiar!

4) Fleet Foxes – Fleet Foxes

fleet-foxes-fleet-foxes

Talvez essa seja a maior revelação musical do ano. À começar pela capa, esse disco é maravilhoso! As hamonias beiram ao melancólico num revival de folk descomunal. Numa primeira audição lembra-se de Crosby, Stills, Nash and Young, cujas canções eram simples e objetivas, mas que ao mesmo tempo conseguiam tônicas extremamente impressionantes. Álbum calmo, curto e espiritual. Acredito que seja só o começo…

3) Portishead – Third

portishead-third

Grupo de trip-hop veterano, o Portishead lançou um disco extremamente experimental e eletrônico que confundiu bastante os fãs e principalmente a mídia. Quem estava acostumado com o hit “Glory Box” deve ter simplesmente odiado esse novo trabalho da banda. Mas ele é matemático! Cada nota, cada ruído, cada esquizitisse está simétricamente colocada em seu devido lugar dando origem à um dos barulhos mais intrigantes da música. Quem mais poderia fazer isso com tanta simplicidade?

2) Vampire Weekend – Vampire Weekend

vampireweekend1

O disco mais divertido de 2008, com toda a certeza. Com muito bom humor, os novaiorquinos debutantes do Vampire Weekend lançaram um álbum regado à bom gosto, ritmos africanos e reaggea. E a parte mais legal: deixaram aquela coisa sacal meio folclórica que todo músico costuma utilizar e aderiram a vertente mais pop da cultura africana. Nada de gritinhos tribais ou batuques de oferendas, a musicalidade aqui se encaixa de acordo com sua necessidade. E assim, recicla o rock alternativo dando um frescor de novidade aos ouvidos.

1) MGMT – Oracular Spectacular

mgmt

Indietrônica, neo-hippie, acid-rave… Não dá pra definir o que é MGMT. Há uma enorme diversidade musical dentro desse disco que produz efeitos psicodélicos em qualquer pessoa. Soa estranho, sim, mas é incrível! É animado e zen, espalhafatoso e colorido, fomentando uma ode dançante e esquisita, que fabricou os melhores hits do ano.

***
Se isso fosse um Top 10, os outros 5 discos da lista seriam: 10) Oasis – Dig Out Your Soul; 9) AC/DC – Black Ice;  8) Glasvegas – Glasvegas; 7) The Verve – Fourth; e 5) Radiohead – In Rainbows (mesmo tendo sido lançado em 2007 apenas na internet hehe).


08’s: Natalie Portman’s Shaved Head

Posted in Random with tags , , , on dezembro 20, 2008 by Jonatas

395-5n11portmanhdstandaloneprod_affiliate4

Pegue cinco jovens despirocados, uma enorme variedade de influencias musicais que vão desde Nirvana até CSS, alguns sintetizadores, um pouco de luxúria e uma foto da Natalie Portman careca em V de Vingança e… Voi lá, temos o Natalie Portman’s Shaved Head, uma das bandas mais criativas e inspiradas da atualidade.

Com seu som bastante despretencioso e juvenil, com uma energia hormonal adolescente e muita lascividade sintetizada, esse quinteto de Seattle consegue ser extremamente divertido sem muito esforço. Se eu pudesse compará-los à alguma banda já existente, seria Mindless Self Indulgence. Música insana, absurda, frenética e totalmente original. Como eles mesmos se definem, puro “Pop Electro Rock Disco Magic Sweetness”.

Gostou? Ficou curioso(a) e quer conhecer mais? Eles estão em todas as redes sociais imagináveis como MySpace, Blog e Flickr. É só clicar e conferir ;)

We’re Back!

Posted in Random on dezembro 20, 2008 by Jonatas

Depois de um longo período de ausência e abandono, o blog Musikaholic está voltando!!! Foi tudo culpa do TCC, eu juro. Mas agora estou formado, sou um publicitário oficial (pelo menos no papel) e tenho tempo livre novamente para escrever e ter vida social hehe xD

Aos poucos isso aqui vai ter novamente uma cara bonita, aguardem! ;)

Agradeço à todos os leitores que cotinuam a frequentar essa página. Se as estatísticas estiverem corretas, o número de visitantes só cresceu mesmo com quase 3 meses de absoluta ausência. Prometo que agora poderão apreciar novas matérias!